Os primórdios

   O Grupo de Fados do ISEP nasceu nos finais de 1990 com a primeira formação que se apresentaria à Academia no Sarau da Queima das Fitas do Porto de 1991 no Teatro Rivoli. Lançava-se assim um novo Grupo Académico que, com dois vocalistas, duas guitarras Portuguesas e duas violas, interpretava o Fado.


     Uma nova formação surge entretanto com objectivos mais ambiciosos e definidos, baseados no prazer comum do romantismo que uma serenata de Fado traz associada. Durante alguns anos foram apresentados temas tocados e cantados de forma própria e com sentido de evolução crescente. Poderemos dizer que esta era uma “aprendizagem” a que nos dedicávamos com vigoroso empenho.

     Com esta formação vivemos a geração de grupos de Fado que entretanto surgiram, como o Grupo de Fados da Universidade Católica e o Grupo de Fados de Ciências – U.P., naquilo que podemos chamar a “Geração de 90”. O encontro de grupos em pequenas tertúlias, que periodicamente se repetiam, deu origem a uma evolução de tocadores e intérpretes e aquilo que consideramos mais importante – temas de Fado do Porto e para a Academia do Porto. É nesta procura de uma nova sonoridade e novos caminhos que surge o tema “Adeus Saudade; – Balada de despedida ISEP de 1997”, apresentada na Monumental Serenata da Queima das Fitas do Porto e que em Dezembro de 1998 daria nome ao 1º registo do Grupo.


     As formações seguintes nasceram daí, herdeiras de uma consolidação de conhecimentos e com uma pré-definida metodologia de trabalho, contam já com vários originais dedicados ao Porto – a nossa cidade –, ao nosso Instituto e à nossa Academia, numa rendida homenagem de referências e influências sentidas nesta aurora da nossa vida… académica.


     Foi baseado neste espírito inovador e de procura de novos rumos para o Fado Académico que surgia no Porto, que o Grupo de Fados do ISEP, conjuntamente com a sua Associação de Estudantes, idealizou e concretizou em 1999, a “I Grande Noite do Fado Académico do ISEP”, numa iniciativa inédita que juntou academias e gerações do sempre amado Fado de Coimbra. Este evento repete-se anualmente até à presente data.